DOC – Inspeções Periódicas, Consertos e Rodízios de Pneus

A presença de desgastes irregulares nos pneus, ou o surgimento de vibrações, são fatores que determinam a necessidade de um novo alinhamento e balanceamento das rodas.

É necessário redobrar a atenção ao examinar nos pneus :
– a banda de rodagem, para detectar se não existem eventuais desgastes anormais, perfurações, deformações ou objetos estranhos presos à borracha;
– os flancos, para observar eventuais cortes, rachaduras ou quebras por choques (devido buracos, meio fio, obstáculos, etc.), o desgaste por raspagem contra o meio-fio (guias) e outras formas de avarias, que podem ser provocadas durante o uso.

As causas de anomalias durante o rodar, tais como fortes vibrações, “puxadas” súbitas à esquerda ou à direita, etc., devem também ser pesquisadas.

Em caso de perda de pressão é imperativo parar o mais rápido possível e, se necessário, desmontar o pneu para verificar a origem da perda de pressão, caso esta não seja visível.

Antes de consertar qualquer tipo de pneu, é rigorosamente necessário proceder ao exame do seu interior, a fim de se assegurar da ausência de outras possíveis deteriorações ou danos. Toda e qualquer anomalia deve ser examinada por um profissional que julgará se uma reparação é necessária e possível. As reparações devem ser confiadas a um especialista que se responsabilize integralmente pelos trabalhos executados.

Por outro lado, os pneus montados num mesmo veículo podem com o uso apresentar na banda de rodagem um consumo ligeiramente irregular devido às condições mecânicas do veículo (suspensão, amortecedores etc.), distribuição das cargas, variações das curvaturas das estradas, tipos de percurso, etc.. Estas irregularidades podem ser corrigidas através de trocas sistemáticas das posições das rodas do veículo, denominadas rodízios.

A responsabilidade primária da inspeção periódica dos pneus e rodas é do Usuário, ao qual cabe zelar pela sua segurança e a de terceiros.

RODÍZIOS RECOMENDADOS PARA VEÍCULOS LEVES, COM TRAÇÃO DIANTEIRA OU TRASEIRA, COM PNEUS DIAGONAIS OU PNEUS RADIAIS (MÉDIA A CADA 5.000 km PARA PNEUS DIAGONAIS E 8.000km PARA RADIAIS):

É importante observar que sempre que o rodízio for realizado, é necessário alinhar e balancear as rodas, verificar e ajustar a pressão de inflação (utilizando o valor indicado pelo fabricante do veículo de acordo com a carga transportada), checar as condições das rodas (se não possuem amassados ou trincas, por exemplo) e das válvulas de ar.

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:

1: As linhas tracejadas indicam trocas alternativas que podem ser feitas em lugar das indicadas pelas linhas sólidas.

2: Pneus assimétricos: usam os mesmos esquemas de pneus normais (simétricos) já que o rodízio manterá o lado externo montado na parte externa, pois o pneu não é desmontado da roda (não deve ser invertido no aro).

3: Pneus unidirecionais: usar os esquemas acima, mas se houver necessidade de passar para o lado oposto, deverão ser desmontados e invertidos no aro.

4: Pneus assimétricos e unidirecionais: pneus que são ao mesmo tempo assimétricos e unidirecionais devem seguir os esquemas de pneus unidirecionais.

5: Veículos 4×4: executa-se o rodízio em “X” dos quatro pneus (caso não sejam unidirecionais).

6: Veículos com medidas diferentes nos dois eixos: o rodízio é feito trocando-se os pneus do mesmo eixo entre si.

RODÍZIOS RECOMENDADOS PARA CAMINHÕES E ÔNIBUS COM PNEUS DIAGONAIS OU PNEUS RADIAIS (EM MÉDIA A CADA 10.000 km):

Considerando um veículo equipado com todos os pneus novos (1ª vida) de mesma estrutura, mesma medida e tipo de desenho de banda de rodagem.

Considerando veículos equipados com todos os pneus de mesma medida e tipo de desenho de banda de rodagem ou com os pneus dianteiros diferentes dos traseiros. Num mesmo eixo nunca devem ser utilizados pneus diagonais com radiais ou vice-versa.

RODÍZIOS RECOMENDADOS PARA REBOQUES E SEMI-REBOQUES COM PNEUS DIAGONAIS OU PNEUS RADIAIS (EM MÉDIA A CADA 10.000 km):

Nos reboques ou semi-reboques sempre devem ser utilizados nos vários eixos pneus de mesma estrutura, mesma medida e tipo de desenho de banda de rodagem.
Tendo em vista os arrastes laterais a que os pneus são submetidos nas curvas e manobras, dependendo do tipo de percurso e de transporte, outros sistemas de rodízios poderão ser adotados.