DOC – Medição dos Sulcos e Retirada de Uso dos Pneus

A profundidade dos frisos/sulcos da banda de rodagem dos pneus deve ser verificada regularmente. Conforme Resolução da Autoridade Competente, os sulcos não devem ter profundidade restante inferior a 1,6mm, sendo este o limite máximo de desgaste permitido, uma vez que nesta profundidade a substituição dos pneus é obrigatória.

Quanto menor for a profundidade restante dos sulcos, maiores serão os riscos de acidentes pela redução de aderência, principalmente em piso molhado.

O momento de retirada dos pneus pode ser visualizado pelos indicadores de desgaste existentes no fundo dos desenhos (que são saliências de 1,6mm de altura) em 04 a 08 pontos da circunferência do pneu, em correspondência a escrita TWI (Tread Wear Indicators – Indicadores de Desgaste) ou mesmo com a medição do sulco com o paquímetro medidor de profundidade, conforme demonstração da imagem logo abaixo.

Em certas utilizações porém, onde os veículos rodam em estradas de chão ou em más condições, é aconselhável retirar os pneus antes de atingirem o limite estabelecido em função da maior vulnerabilidade a cortes na banda de rodagem, o que pode danificar a carcaça do pneu, impedindo este de ser recapado novamente.

É importante ressaltar que a retirada de uso dos pneus no momento certo permitirá um rodar mais seguro e seu melhor reaproveitamento para a reforma/recapagem.

Na imagem a seguir temos a ilustração onde o responsável está medindo a profundidade dos sulcos com um paquímetro digital.

É importante a verificação, acompanhamento e medição dos sulcos dos pneus, pois com isso podem ser detectados também falhas de alinhamento e mesmo de pressão/calibragem fora do padrão.

Mantendo uma correta geometria de alinhamento do eixo dianteiro que pode ser convergente ou divergente, e dos entre eixos, em relação ao veículo que pode ser concordantes ou discordantes, estimou-se uma economia entre 25% a 60% na vida útil de um pneu e até 10% de redução no consumo de combustível (percentuais estimados).

Abaixo temos um exemplo dos Sulcos de um pneu que sofreu degaste irregular por não estar alinhado, o pneu possui quatro sulcos que aumentam sua profundidade da esquerda para a direita, considerando primeiro sulco com 2mm, segundo com 4mm, terceiro com 6mm e quarto e último sulco com 8mm. Vale observar que a linha TWI (Indicaror de Desgaste) sugere a retirada deste pneu com no mínimo 1,6mm de profundidade, portanto este pneu já está em situação de retirada, mesmo que este tenha ainda no sulco externo com 8mm. O veículo não estar devidamente alinhado e representa que o pneu perdeu até 25% de sua vida, ou seja, 25% de seu preço.

A vida, performance e durabilidade de um pneu é profundamente influenciada pelo controle de pressão/calibragem utilizadas no veículo, a pressão nada mais é do que a “alma” do pneu. Sempre que houver pressões incorretas não correspondente com a aplicação da carga transportada distribuída sobre pneu, se originam desgastes irregulares, comprometendo a vida útil do pneu.

Abaixo temos na Figura A, um exemplo de pneu com uma pressão/calibragem alta, muito acima do padrão estabelecido pelo fabricante. Isso gera um desgaste irregular nos sulcos da parte central do pneu.

Na sequência abaixo, temos também a Figura B, com um exemplo de pneu com uma pressão/calibragem baixa, muito abaixo do padrão estabelecido pelo fabricante. Isso gera um desgaste irregular nos sulcos da parte externa do pneu, fazendo com que os sulcos centrais estejam ainda estejam bons, enquanto que os laterais já fazem com que o pneu esteja em situação de troca.